Concreto de alta resistência – Composição e Economia

No inicio dos anos 70, especialistas previram que a resistência à compressão do concreto não ultrapassaria a faixa dos 75 Mpa, seria muito improvável. Porém, ao longo desse meio tempo, o concreto conseguiu superar e muito essa marca.

Não muito comum aqui no Brasil onde a maioria dos concretos apresentam fck em torno dos 40 Mpa, concretos de 100 Mpa+ são relativamente comum nos EUA.

Como eles conseguem fazer a resistência chegar a valores tão altos?

Porque usar concretos de alta resistência?


De acordo com o ACI (Instituto americano de concreto) a diferença entre o concreto normal e o concreto de alta resistência (High strength concrete – HSC) é que a partir de 40 Mpa (6000psi) o concreto é considerado de alta resistência.

Para fazer um concreto de alta resistência, muitos fatores são observados para que o fck desejado seja atingido, entre eles podemos citar: Tipo de cimento (de preferencia o de alta resistência inicial CP V); relação a/c; granulometria controlada dos agregados (muito importante); aditivos químicos ou minerais e etc.

Apesar de no Brasil o uso de aditivos minerais e fibras não ser muito comum, uma das coisas mais utilizadas nos concretos de alta resistência são as pozolanas como a sílica ativa e cinzas volantes. Esses materiais dão resistência ao concreto devido a reação com o cimento que produz um adicional de gel CSH que é o responsável pela resistência do concreto.

Além disso, temos os aditivos químicos, sem eles seria muito difícil produzir concreto de alta resistência. A prática mais comum é o uso de superplastificantes + redutores de água retardador. O superplastificante age dando uma trabalhidade adequada a um concreto de baixa relação de a/c e o outro aditivo age retardando a reação de hidratação dando aos trabalhadores mais tempo para a concretagem.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Apesar de mais caro, o uso do concreto de alta resistência pode trazer economia para uma obra, além disso, ele apresenta outras vantagens como o ganho de espaço, redução do peso total da edificação.

Um exemplo muito comum é o uso em arranha céus, onde a economia é muito maior. Pensando como um todo o custo de um pilar é composto de: armadura, mão de obra, concreto e fôrma. Usando concreto de alta resistência, o tamanho da coluna é reduzido, consequentemente menos concreto e fôrma é necessário e, ao mesmo tempo, a armadura necessária também é reduzida e assim surge uma grande economia, sendo proporcional ao tamanho do edifício.

*Arranha céus nos EUA usam concretos de alta resistencia há tempos, desde os anos 90. Geralmente o Fck gira em torno de 100 Mpa ou mais. Atualmente, já existe uma nova classe de concreto os UHSC – Ultra high strength concrete que o Fck chega a 150 Mpa.

About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s